terça-feira, 14 de setembro de 2010

Ministro diz que Brasil procura recuperar tempo perdido no setor de transportes

14/09/2010 - Agencia Brasil



O Brasil tem hoje um cronograma de pagamentos na área de construção e manutenção de rodovias dez vezes maior do que no início da década, estima o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Segundo ele, o país viveu “uma paradeira de 25 anos” a área, mas nos últimos anos “as obras que não saíam do papel vieram à tona”.



Em entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços, ele afirma que “hoje se pode dizer que a malha rodoviária não tem nenhum trecho importante que não seja sendo objeto de algum contrato de recuperação ou pavimentação”.



Quanto às obras de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014, que vai se realizar no Brasil, Passos lembra que os planos estão em andamento, com a participação de diversas areas, como os ministérios do Esporte e das Cidades.



Sobre o transporte ferroviário, o ministro lembra que os maiores investimentos nessa malha ocorreram no século 19 até metade do século 20 e não tiveram continuidade ou manutenção. Para ele, o fato de as linhas antigas terem bitola estreita inviabiliza a sua utilização para suprir as necessidades de um transporte de carga ou de passageiros mais rápido e, por isso, são necessários novos investimentos.



“O Brasil procura recuperar o tempo perdido”, diz o ministro,. Ele lembra ainda que todos os grandes países se preocuparam com essa alternativa e oferecem à população um transporte regional e urbano de passageiros e de carga compatível com o seu nível de desenvolvimento, incluídos os metrôs e outras alternativas como os veículos leves sobre trilhos, os VLTs.



Aegundo Paulo Sérgio Passos, “o Brasil andou na contramão da história e agora quer recuperar o tempo perdido, pois nenhum país pode aspirar ao desenvolvimento sem antes superar os gargalos mais importantes. A área de infraestrutura, diz, deve comportar investimentos como se faz nos setores sociais, entre eles a saúde e a educação.



O ministro destaca a importância para a economia brasileira das obras das ferrovias Norte-Sul e Leste-Oeste. Na parte oeste, na Bahia, as obras contam com 9 mil trabalhadores. Essa ferrovia, de acordo com ele, deverá, no futuro, se estender até o Rio Grande do Sul, sendo de grande importância para o escoamento agrícola. A interligação das duas ferrovias deverá envolver trecho de cerca de mil quilometros.



Paulo Sérgio Passos diz que na medida em que vão sendo construídas linhas de alta capacidade, de traçado mais moderno, como no caso da Transnordestina, abre-se a perspectiva futura de o país usar o transporte sobre trilhos tanto para carga quanto para transporte de passageiros.



Fonte: Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário