segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Raio-X da infraestrutura de transporte que o novo presidente do Brasil vai encontrar

04/10/2010 - Transporte e Idéias

A extensão da malha viária brasileira sob responsabilidade federal é de 118.873 quilômetros, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Desses, apenas um pouco mais da metade (61.961 quilômetros) está asfaltada. Em 56.508 quilômetros, a pista é simples (mão única), e em 4.490 quilômetros a pista é dupla, numero que será ampliado em 962 quilômetros quando as obras de duplicação em curso forem finalizadas. Mais 254.136 quilômetros de rodovias são estaduais.

Segundo o Dnit, 50% das rodovias sob jurisdição federal estão em bom estado, 35% em estado regular e 15% em más condições.

O sistema ferroviário nacional é o maior da América Latina, em termos de carga transportada. Em 2009, foram transportadas 379,4 milhões de toneladas úteis, e em 2008 foram 426,5 milhões. De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), havia, em 2009, 29,7 mil quilômetros de ferrovias em operação, por onde rodam 2.919 locomotivas e 92.814 vagões.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o país tem atualmente 740 aeroportos públicos funcionando, mas apenas 130 recebem voos regulares. O Brasil também tem atualmente 7,3 mil quilômetros de hidrovias. Segundo o Dnit, 37 mil quilômetros de rios do país têm condições de navegabilidade.

Mais de 90% das exportações do Brasil são feitas a partir do Sistema Portuário Nacional. Composto por 37 portos públicos, entre marítimos e fluviais, ele é responsável por um movimento de cerca de 700 milhões de toneladas em mercadorias. Dos 37 portos, 18 são delegados, concedidos ou tem a operação autorizada pelos governos estaduais e municipais. O Brasil conta, ainda, com 42 terminais de uso privativo e três complexos portuários que operam sob concessão da iniciativa privada.

Fonte: Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário