sábado, 2 de junho de 2012

41% das obras da Copa ainda não começaram

24/05/2012 - Valor Econômico

O Ministério do Esporte divulgou ontem o primeiro balanço de 2012 sobre o estágio das obras de infraestrutura da Copa Mundo de 2014. O levantamento demonstra que, até abril, 41% dos projetos ainda não haviam saído do papel. O ministro Aldo Rebelo, no entanto, disse que está tudo sob controle e governo não precisará contar com "milagres" para concluir as obras a tempo. "Nesse caso, podemos dispensar os serviços dos santos", disse o ministro.

Do total de 101 empreendimentos, 9% já estão com a licitação concluída. Outros 17% das ações têm o processo de licitação em andamento. Ainda em fase de elaboração de projeto, estão 15% das ações.

Até agora, foram concluídos 5% dos empreendimentos e 54% estão em obras. Ao todo, o governo estima um investimento de R$ 27,1 bilhões nas 12 cidades escolhidas para sediar os jogos. A apresentação do balanço foi acompanhada pelos ministros da Aguinaldo Ribeiro (Cidades), Miriam Belchior (Planejamento), Wagner Bittencourt (Secretaria de Aviação Civil) e Leônidas Cristino (Secretaria de Portos).

Os projetos concluídos, até agora, respondem por investimento de R$ 200 milhões. Isso representa apenas 1% do volume programado até 2014. A ministra do Planejamento explicou que é "comum" os empreendimentos exigirem, inicialmente, um baixo nível de desembolso. Segundo ela, o volume de investimento aumentará na fase final de execução. "A terraplanagem terá um custo pequeno em relação ao das obras de acabamento de um estádio", justificou Miriam.

A maior parte dos recursos vai para as 51 obras de mobilidade urbana. Dos R$ 12 milhões, R$ 7,4 bilhões são de financiamento federal e outros R$ 4,6 bilhões deverão ser pagos por Estados e municípios. A área de infraestrutura que conta com o segundo maior volume de recursos é a de aeroportos, com R$ 7,4 bilhões. Do total, R$ 3,8 bilhões virão do governo federal e outros R$ 3,6 bilhões do setor privado. Os aeroportos da Copa reúnem 31 projetos de expansão.

As 12 obras dos estádios receberão R$ 6,8 bilhões, sendo R$ 3,7 bilhões de financiamento federal, R$ 2,5 bilhões dos orçamentos estaduais e municipais e outros R$ 600 milhões do setor privado. Os R$ 900 milhões restantes serão aplicados em sete empreendimentos do setor portuário.j

Nenhum comentário:

Postar um comentário